0

“Se eu pudesse, matava toda a Igreja Universal, pastor Valdomiro”, escreveu açougueiro que trucidou a irmã – VEJA

A população de Mongaguá, no litoral de São Paulo, está estarrecida com a morte da jovem Vitória Miranda Costa, de 22 anos. Ela foi esfaqueada até a morte pelo irmão, o açougueiro Pedro Miranda, de 19 anos. A execução ocorreu na casa da família. Vitória teve o rosto desfigurado e foi golpeada a facadas nos ombros, embaixo do braço e nos seios.

O que deixou as pessoas mais chocadas e revoltadas foi o fato de a jovem ter sido surpreendida enquanto colocava o pai, que é cadeirante e tem 66 anos, para dormir. Ela levou a primeira facada pelas costas. O pobre homem viu a filha ser destroçada pelo filho assassino.

O que também chamou a atenção no crime é que, horas antes, o açougueiro assassino havia postado em seu Facebook uma mensagem ameaçando os fiéis da Igreja Universal e o pastor Valdemiro Santiago. “Bando de lixo filho da puta. Se pudesse, matava toda a Igreja Universal. [Pastor] Valdomiro, todos esses… Vou queimar muito tempo no inferno”, escreveu Pedro, ao compartilhar uma publicação em uma rede social, menos de seis horas antes de esfaquear a irmã.

Segundo a Polícia Civil, Pedro estava embriagado quando fez a postagem e, pouco depois, foi matar a irmã. “Ele tinha ingerido bebida alcoólica. Ele assumiu que matou, sim, mas afirmou que a irmã era quem estava com a faca. A versão contradiz o que o pai deles disse, em depoimento. Não demonstrou qualquer arrependimento. Está, na verdade, se sentindo um ídolo, um ícone”, afirmou o delegado Ruy de Mattos à imprensa local.

Ainda de acordo com o delegado, após trucidar a irmã o açougueiro ainda se dirigiu até a casa da ex-namorada, uma jovem de apenas 17 anos, com o intuito de matá-la também. Não a encontrou lá e fugiu de motocicleta para a cidade de São Vicente, onde se envolveu num acidente que destruiu a moto. Pegou um ônibus até Peruíbe e lá foi localizado pelos policiais.

O fim do relacionamento com a jovem de 17 anos teria sido o motivo para assassinar a irmã. Pedro culpava Vitória ela pelo fim do namoro. Em depoimento à polícia, ele confessou o assassinato, não demonstrou arrependimento e acusou a vítima de estar com uma faca. “Ele alegou, por fim, que

toda essa encrenca envolvia a irmã com a mulher dele. Controvérsias e xingamentos mútuos, e acabou perdendo a cabeça”, afirmou o delegado.

Pedro teve a prisão preventiva, por tempo indeterminado, decretada pela Justiça. Ele foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória da região.

Agodoi1

Deixe uma resposta