Provavelmente você nunca deve ter ouvido falar ou lido o nome de Jono Lancaster. Muito menos saber que ele, hoje é um dos professores mais inspiradores e respeitados do mundo, hoje ele colabora com uma comunidade extremamente especial, que ajudas pessoas que sofrem da mesma síndrome que ele.

Jono ao nascer, nem teve nome e foi covardemente abandonado pelos pais pouco mais de 36 horas após seu nascimento.

Seus pais o rejeitaram, pelo fato dele ter nascido com a Síndrome de Treacher Collins. Essa síndrome atinge o rosto das pessoas deixando-as sem alguns músculos, por esse fato desde seu nascimento, a vida de Jono não seria fácil, porém, ele juntou forças e como se fosse um herói, desses que vemos em histórias de quadrinho e nos cinemas, conseguiu superar o preconceito e hoje é um exemplo para o mundo.

Logo depois de ser abandonado pelos pais Jono foi colocado para adoção, foi aí que um verdadeiro anjo surgiu em sua vida de Jono: a historiadora e escritora Jane Lancaster, de Yorkshire, Inglaterra. Jane não mediu esforços e fez de tudo para que Jono tivesse uma vida normal.

Mesmo com todo esse apoio e carinho, por diversas vezes, Jono relatou que se sentia infeliz, entretanto, procurava esconder aquilo da mãe, mesmo porque ela fazia tudo por ele. Nosso herói, lembra dos momentos de vergonha, onde ele preferia cortar o cabelo em casa, para não sair na rua e não ter que olhar no espelho.

Entretanto, contando com o apoio da mãe, aos 20 anos, Jono finalmente conseguiu arranjar seu primeiro emprego, que foi em um bar, desse dia em diante sua vida começou a tomar outro rumo. Ele então começou a ter contato e conhecer outras pessoas que não se importavam por ele ter um rosto completamente diferente dos demais.

Isso ajudou Jono a enxergar que ele fazia parte de algo. Desde então, tudo melhorou. Ao ponto até de Jono trocar de emprego, ele saiu do bar para trabalhar em uma academia, lá conheceu sua mulher, Laura Richardson.

Alguns anos depois, Laura e Jono conseguiram comprar uma casa própria e começaram uma vida juntos. Nesse mesmo tempo, Jono se tornou professor de um grupo de adultos com autismo, e as mudanças não pararam por aí. Sempre que podia, o rapaz viaja pelo mundo para apoiar e visitar crianças que também eram portadoras da mesma síndrome de Treacher Collins.

Em uma dessas viagens, um caso que ficou conhecido mundialmente, Jono foi até a Austrália para dar suporte a um bebê de dois anos.

Mesmo conseguindo mudar completamente sua expectativa de vida e conseguir até destaque, Jono ainda continua vivendo um drama. Tudo porque, em 2009, ele tentou reencontrar seus pais biológicos, mas eles se recusaram a conhecer o próprio filho. Jono conta que chorou muito na época e continua sofrendo por ser rejeitado pelos seus pais. Muitos dizem que, na verdade, seus pais biológicos não merecem Jono, uma personalidade incrível e inspiradora.

Rejeitado pelos pais por ser um “monstro”, ele foi adotado por um anjo; Veja 25 anos depois!

Deixe uma resposta

error: Content is protected !!