0

Pai monstro foi condenado por ter gerado oito filhos que, acreditem, também são seus netos! – CONFIRA, É CHOCANTE

Um pai, que pode ser chamado de monstro, foi condenado a 12 anos e oito meses de prisão na Argentina. A sentença, diga-se de passagem, está sendo considerada muito branda para o crime monstruoso que ele cometeu contra sua própria filha ao longo de tortuosos 22 anos.

O argentino Domingo Bulacio, de 57 anos, não mostrou sinais de emoção quando foi condenado nesta quarta-feira (27) por crimes sexuais múltiplos, após um julgamento em um tribunal da cidade de Santiago del Estero, no norte do país vizinho. Os familiares do estuprador em série estavam entre as 50 testemunhas na audiência.

Bulacio, conhecido pelo apelido “Vernacho”, estava sob custódia desde sua prisão, em janeiro do ano passado. Ele fugiu de sua casa, em Villa Balnearia, a uma hora de carro de Santiago del Estero, depois que sua filha, conhecida localmente como Antonia, procurou as autoridades acusando seu pai de a transformar em escrava sexual quando ela tinha apenas 11 anos, depois botar a esposa para fora de casa.

Testes de DNA confirmaram que os oito filhos gerados por Antônia eram do avô. Seis das oito crianças nascidas dos crimes sexuais passaram o tempo vivendo em um internato de caridade, mas agora estão de volta para sua mãe, na casa da família degradada.

Bulacio foi apelidado de “O Monstro da Villa Balnearia”, depois que ele foi para a prisão. O caso é assustadoramente semelhante ao abuso que Elizabeth Fritzl sofreu nas mãos do pai, Josef. Ela foi mantida em cativeiro por 24 anos no porão de sua casa, na cidade de Amstetten, na Áustria.

O abuso de Fritzl, agora preso pelo resto da vida, resultou no nascimento de sete filhos e um aborto espontâneo.

Antonia disse a um jornal local, após a prisão de seu pai, que ela havia sido abusada desde pequena por seu pai e outro parente. E revelou que recebeu ameaças de morte desde que seu caso veio a público. “Desde o momento em que minha mãe saiu de casa, tornei-me a esposa do meu pai”, contou.

“Ele me batia e costumava me perseguir ao redor da casa, com um pedaço de madeira, quando me via conversando com um vizinho ou simplesmente quando queria me abusar. Ele me ameaçou constantemente e sempre temi pela minha vida. Me dizia que ia me matar se eu contasse alguma coisa”, relatou.

“Estou com medo da minha vida e da vida dos meus filhos, pois recebo ameaças dos parentes do meu pai para retirar minha queixa contra ele. Eles não estão preocupados com o que aconteceu. Eu quero que ele apodreça na prisão. Quero que a justiça seja feita”, disse.

Os promotores estaduais pediram uma pena de prisão de 15 anos para Bulacio. Ele se recusou a falar no tribunal, de ter a chance de se defender antes da sentença dos juízes Alfredo Daniel Perez Gallardo, Elida Suarez de Bravo e Lidia Paz.

Agodoi1

Deixe uma resposta