Os Melhores Anticoncepcionais Atualmente no Mercado brasileiro. Além disso, As pílulas anticoncepcionais são um dos métodos preferidos das mulheres na hora de se prevenirem contra a gravidez. Existem diversos tipos diferentes de pílulas e o que faz bem para uma pessoa nem sempre faz bem para outra. Os efeitos variam especialmente por causa dos hormônios.

“Pílulas anticoncepcionais são medicamentos compostos por hormônios sintéticos parecidos com os hormônios naturais estrogênio e progesterona, produzidos pelos ovários”. Existe uma quantidade enorme de pílulas, muitas similares entre si, com a mesma composição, mas de laboratórios diferentes e com preços que também variam, e existem também medicamentos genéricos.

Então, confira agora os 12 Melhores Anticoncepcionais Atualmente no Mercado:

Ciclo 21:

O ciclo 21 é uma pilula anticoncepcional que tem como substâncias ativas o Levonorgestrel e o Etinilestradiol, sendo utilizada para prevenir a gravidez e para regular o ciclo menstrual. O Ciclo 21 é produzido pelos laboratórios União Química e pode ser comprado nas farmácias convencionais em cartelas de 21 comprimidos.

Diane 35:

O Diane 35 é um dos Melhores Anticoncepcionais Atualmente no Mercado brasileiros. Diane 35 foi lançado aqui em 1990 e até hoje continua sendo um dos mais indicados pelos ginecologistas, que com o seus benefícios, vai conquistando cada vez mais as mulheres do nosso país.

Elani Ciclo:

O anticoncepcional Elani Ciclo é um contraceptivo bastante eficaz, tem sua fórmula bem parecida com a do anticoncepcional Yasmin e com o diferencial principal, os preços, além de vários outros benefícios que anticoncepcional traz.

Yasmin:

O Yasmin, junto com o Yaz, é um dos anticoncepcionais mais indicados pelos ginecologistas, traz inúmeros benefícios as suas consumidores e possui poucos efeitos colaterais. O Yasmin realmente cumpre as suas promessas, sendo muitas vezes utilizados apenas nas funções de tratar o acne, reduzir os sintomas da TPM e até auxiliar no emagrecimento.

Yas:

O Yaz é sem dúvida o atual anticoncepcional mais indicado pelos ginecologistas, teve um crescimento extremamente rápido e isso graças a todos os seus benefícios, que são realmente cumpridos e sem muitos efeitos colaterais. Embora o Yaz tenha seus preços bem elevados, os benefícios que ele carrega acabam valendo a pena, sendo consumido as vezes apenas para melhoras na pele.

Selene:

O anticoncepcional Selene está entre os preferidos das mulheres. É um medicamento indicado para o tratamento de doenças relacionadas aos hormônios andrógenos produzidos pelo organismo feminino, tais como a acne, principalmente nas formas pronunciadas e naquelas acompanhadas de seborreia, inflamações ou formações de nódulos (acne papulopustulosa, acne nodulocística); casos leves de hirsutismo (excesso de pelos) e síndrome de ovários policísticos (SOP).

Siblima:

O anticoncepcional Siblima é do tipo posologia oral, ou seja, deve ser ingerido por meio de pílulas todos os dias. Sua eficácia está relacionada com a pontualidade do medicamento e sua ingestão sem medicamentos que cortem o seu efeito, ou suspensão da cartela no meio.

Diminut:

O anticoncepcional Diminut é outro que está entre os mais indicados, e não é atoa, o Diminut traz vários benefícios e tem um custo bem baixo, o que atrai ainda mais as suas consumidoras.

Mercilon:

O anticoncepcional Mercilon é um medicamento fabricado e distribuído pelo laboratório Organon para todo o Brasil. É um medicamento bastante receitado pelos médicos por ser considerado seguro na prevenção da gravidez, além de ter um baixo índice de relatos de aumento de peso.

Tãmisa:

Tem a mesma composição que a Siblima. A dosagem de estrógeno pode ser de 20 ou 30, dependendo da resposta da paciente. Quando a dose é muito baixa, algumas pessoas apresentam sangramento, por isso precisa aumentar. É uma cartela com 21 comprimidos e sete dias de intervalo.

Cerazette:

O Cerazette é um medicamento contraceptivo fabricado pelo laboratório holandês Organon. Desde a década de 1930 a empresa se dedica a produção de hormônios sexuais, como estrogênio e progesterona. O medicamento já foi testado e aprovado por diversos institutos.

Allestra 20 ou 30:

O Cerazette é um medicamento contraceptivo fabricado pelo laboratório holandês Organon. Desde a década de 1930 a empresa se dedica a produção de hormônios sexuais, como estrogênio e progesterona. O medicamento já foi testado e aprovado por diversos institutos.

Na lista dos anticoncepcionais baratos, o Allestra está entre os primeiros. Com custo médio de R$ 20, está entre os populares mais queridos por um benefício simples: poucas mulheres engordam tomando este medicamento. E cada caixinha vem com três cartelas, tornando o item mais barato ainda!

Métodos contraceptivos: A pílula pode conter progestágeno isolado ou associado a estrógeno (a chamada pílula combinada). A dose de estrógeno varia em cada tipo de pílula, sendo recomendado atualmente a utilização de pílulas com 35mcg ou menos deste componente, devido ao menor risco de efeitos colaterais, principalmente fenômenos tromboembólicos, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, tromboses em geral, etc, aumento da pressão arterial, etc. Já o progestágeno é variado, tendo efeitos diferentes.

Há o acetato de ciproterona (Diane 35, Selene, Diclin, Artemidis, etc), indicado para mulheres que têm acne, por exemplo; o levonorgestrel (Microvlar, Nordette, Level, etc) que tem uma ação ruim sobre o perfil lipídico, podendo elevar o colesterol e o LDL, o “mau” colesterol, mas é o que tem menor risco de potencializar os fenômenos tromboembólicos do estrógeno; o gestodeno (Allestra, Micropil, Siblima, Tâmisa, etc) e o Desogestrel (Mercilon, Primera,etc), que têm melhor ação sobre o perfil lipídico; a Drospirenona (Yasmin, Yas, Yume, Elani, etc), e diversos outros.

“No período de amamentação, até o sexto mês após o parto, se o bebê estiver com amamentação exclusiva ao seio, a pílula combinada não deve ser utilizada, pois o estrógeno pode alterar a qualidade e a quantidade do leite, nesse caso o indicado é uma pílula só com progestágeno, como Cerazette, por exemplo”, recomenda.

Devido ao risco de efeitos colaterais e a todas essas especificidades dos vários componentes, a pílula deve ser prescrita por médico, que vai avaliar cada caso, quanto a riscos á saúde da mulher, contra-indicação ao uso da pílula, dose de estrógeno e tipo de progestágeno a ser prescrito. “A pílula pode ser usada ininterruptamente ou com pausa entre as cartelas.

As de uso contínuo podem ser todas com hormônio e, nesse caso a mulher não irá menstruar, ou podem conter placebo (substância inerte) no período correspondente á pausa e, nesse caso a mulher irá menstruar. As pílulas que têm pausa podem ter 21, 22 ou 24 comprimidos e as pausas variam de 7, 6 ou 4 dias, respectivamente”, explica. Os principais benefícios, além da contracepção, são o controle do ciclo menstrual, a redução do fluxo e, consequentemente do risco de anemia, redução da dismenorreia (cólica na menstruação), redução do risco de câncer de ovário, etc.

Pílulas engorda????

Quanto ao ganho de peso, a ginecologista diz que as pílulas podem causar um aumento de dois a três quilos. Caso ocorra um ganho maior, é necessário uma investigação clínica pois, geralmente, alguma outra causa está associada.

Os 12 Melhores Anticoncepcionais Atualmente no Mercado

Deixe uma resposta

error: Content is protected !!