Eu estava em cima do altar da igreja quando vi a Lanna pela primeira vez. Nunca vou esquecer a cena: uma mulher entrando pelo corredor, vindo em direção ao palco com uma saia rodada que cobria os pés, um enorme coque na cabeça e segurando um bebê no colo. Naquele momento alguma coisa mudou dentro de mim.
Eu nunca tinha tocado uma mulher antes e até então essa nem era uma questão para mim. Eu não sabia, mas aquela missionária que se dizia ex-lésbica se tornaria o meu grande amor, fazendo com que eu largasse um marido pastor para ficar com ela!

Conheci a Lanna, uma “ex-lésbica”

Eu achava que parte dos problemas do meu casamento se dava ao fato de eu viajar muito. Eu percorria muitas igrejas para cantar e meu marido, que já havia se tornado pastor, pregava. Mas nossas agendas não batiam e a gente passava muito tempo distante.
Foi num desses compromissos como cantora gospel que eu conheci a Lanna. Era junho de 2002 e ela estava muito famosa no meio evangélico da época. Percorria o Brasil pregando que Deus a havia “curado” da homossexualidade. Ela se definia claramente como uma ex-lésbica, e já tinha um marido e um filhinho, ainda bebê. O sucesso da Lanna era tanto que ela foi convidada para pregar nos Estados Unidos também, justo na minha igreja.
Muitas celebridades evangélicas pregavam por lá e eu conheci muita gente importante. O Pastor Marcos Feliciano, que hoje é deputado e vive discursando contra a homoafetividade, dormiu várias vezes na minha casa, como hóspede. Que ironia!
Logo que eu conheci a Lanna, senti algo diferente. Demorei para entender o que era. Ficamos muito amigas, nossos maridos se conheceram, nossos filhos brincaram juntos. Dei até um banho de loja nela! Soltei aquele cabelão, mandei ver numas unhas postiças, cílios e maquiagem. Ela ficou irreconhecível! Nossa amizade foi ficando cada vez mais íntima e acabamos formando uma dupla e tanto: onde a missionária Lanna pregava, a cantora Rosania dava seu show.
Um dia, numa viagem de carro para Nova York, em 2003, eu estava dirigindo. No carro ia, além de mim, a Lanna e outras duas missionárias. Lembro dela sentada no banco de trás quando nossos olhares se cruzaram pelo retrovisor. Ali eu me senti atraída e percebi que tinha sentimentos por ela, mais do que só amizade. E, ao que tudo indicava, ela correspondia! Me perdi em mil pensamentos, fiquei com o coração na boca. O que estava acontecendo comigo? Quando paramos o carro e as outras missionárias desceram, fiquei com a Lanna ali, tomei coragem e disse: “Lanna, eu acho que estou gostando de você de uma forma diferente”. Ela mandou na lata: “eu também!”. Foi aí que tudo começou.

Aquela viagem foi muito difícil. Quando a gente se olhava rolava uma tensão no ar, era bem perceptível. Nós duas estávamos nervosas. Ela fugindo desse sentimento que já era conhecido e eu sentindo pela primeira vez o que era gostar de uma mulher. Comecei a me perguntar “o que está acontecendo comigo?”.
Meu coração estava agitado e foi assim que aconteceu: em um quarto de hotel, enquanto uma das missionárias dormia, a outra tomava banho e eu estava sentada na minha cama, perdida nos meus pensamentos.
A Lanna estava passando roupa quando, de repente, começou a vir na minha direção. Eu fiquei muito nervosa, sem saber o que ia acontecer. Ela se aproximou, me olhou com carinho e beijou.
Depois desse beijo a gente passou a se evitar. Mas sempre acontecia da gente se encontrar em algum compromisso da igreja e acabava que nenhuma conseguia resistir. Era um misto terrível de culpa e carinho. Eu não acredito que Deus aprovava o que gente fazia, afinal, as duas eram casadas!
Mas eu sei que Deus conhecia nosso coração e que era amor verdadeiro. Quando nos relacionamos intimamente pela primeira vez eu senti que tinha me encontrado. Descobri um prazer que eu nunca tinha experimentado e foi tudo muito natural. Ao mesmo tempo, eu sabia que aquele era o começo de um processo de muito sofrimento para mim e para todos aqueles que me amavam.

A aceitação foi o passo mais difícil

A partir daí eu comecei a ler muitos livros e a aprofundar minhas experiências de oração. Eu não conseguia me sentir errada por amar outra mulher, mas me sentia em pecado por causa da traição. Juntas, buscamos a Deus e, cada uma a seu tempo, largamos os maridos. Era o certo a fazer. Primeiro porque Deus não abençoa traição, segundo porque esse amor verdadeiro precisava ser vivido. Ter um grande amor não é algo obrigatório na vida de todo mundo. Nunca tinha acontecido comigo e quando aconteceu foi com uma pessoa incrível chamada Lanna. O fato de ela ser mulher é um detalhe menor. Eu sabia que decepcionaria muita gente, frustraria expectativas e teria que reinventar totalmente a minha vida, mas também sabia que ia valer a pena!
Foi tudo muito difícil e doloroso. Deixar para trás o meu casamento, o meu ministério, encarar a vida como uma lésbica evangélica! Eu sei que para muita gente isso pode parecer absurdo, mas para Deus não é! Me dediquei aos estudos, fui conhecer a Bíblia mais a fundo e descobri que Deus também ama os homossexuais e abençoa o amor entre pessoas do mesmo sexo.
Tem muita gente por aí que distorce trechos da Palavra de Deus ou que não estuda adequadamente e acaba usando versículos fora de contexto para condenar as pessoas, ao invés de amá-las como Jesus ensinou. Quando entendi isso fiquei ainda mais convicta do que queria para mim. Naquele contexto, a única pessoa que importava para mim era o Caleb, meu filho. Eu ainda fiquei um tempo com ele, mas preferi deixá-lo nos Estados Unidos para que ele tivesse uma educação melhor. Ele gosta muito da Lanna e sempre vem para o Brasil nos visitar. O amor dele é tamanho que agora veio para morar com a gente! Deus é bom!

Fonte: VCBELA

Mulher abandona casamento com o pastor pra ficar com a pastora

3 ideias sobre “Mulher abandona casamento com o pastor pra ficar com a pastora

  • 16 de maio de 2017 em 16:55
    Permalink

    Tem misericórdia oh Jesus dessas mulheres, liberte -as do engano Senhor.

    Resposta
  • 5 de junho de 2017 em 15:16
    Permalink

    Me desculpe mais isso é sim um absurdo, aaah e me indique pela biblia onde posso ler q Deus abencoa o amor entre pessoas do mesmo sexo??

    Resposta
  • 10 de junho de 2017 em 08:27
    Permalink

    Pude ouvir Lana testemunhar sua “cura” uma vez. Lamentável ver q voltou a viver tudo contra o qual pregava. Mais lamentavel é esse site propagando esse tipo de reportagem pró-gay. Quero ver se publica alguma outra coisa que fale de Deus e da Biblia de forma coerente.

    Resposta

Deixe uma resposta

error: Content is protected !!