Totalmente aceito em diversos países do Oriente Médio, casamentos entre crianças e adultos voltam a ser notícia.

Uma das práticas mais comuns por lá, é a poligamia, bem como o casamento entre meninas jovens e homens mais maduros, alguma das vezes com idade para serem seus pais ou avós.

Entregues por suas famílias a homens cuja situação financeira são melhores que as delas, muitas meninas são feitas de objetos por seus futuros maridos, levando pelo resto de suas vidas uma relação repleta experiências muito negativas.

Um caso que vem revoltando pessoas ao redor do mundo é o da pequena Rawan, de apenas oito anos de idade. Nascida no Iêmen, país do Oriente Médio que faz fronteira com Arábia Saudita. Ela foi obrigada a se casar com um muçulmano de 49 anos.

Após casamento, com homem 41 anos mais velho, menina morre em noite de núpcias

Contraindo matrimônio em uma cerimônia tradicional de seu país, Rawan foi entregue pelo próprio pai ao noivo.

Apesar do repúdio de outros povos de nacionalidades e culturas, infelizmente, esta prática é lícita e “normal” naquela localidade.

Deixando a festa e indo para sua nova casa acompanhada de seu esposo, Rawan, que assim como outras meninas de sua idade são instruídas a se sujeitar prontamente aos pedidos de seu cônjuge, sofreu uma intensa hemorragia durante sua noite de núpcias, provocada por ferimentos em seu útero.

Não resistindo aos ferimentos internos que sofreu, Rawan acabou indo à óbito no local.

Menina de 8 anos morre em noite de núpcias, ao se deitar com marido de 49

Deixe uma resposta

error: Content is protected !!