0

“Já pedi muito perdão para ele”, mãe que deu à luz após ser presa desabafa sobre dor de ver bebê na cadeia

Há alguns dias um caso virou polêmica: uma mulher deu à luz um dia após ser presa acusada de tráfico de drogas. E, como o juiz não aceitou o pedido para prisão domiciliar, ela voltou três dias depois para a cadeia com seu bebê, em um local com condições básicas precárias. Jessica Monteiro, de 24 anos, deixou muita gente tocada com sua história e causou comoção.

“Chorei muito quando ele nasceu. Fiquei feliz, mas triste ao mesmo tempo da situação. Nós dois íamos ficar presos”, disse Jessica após o parto. O primeiro banho da criança quando saiu do hospital foi em um balde na carceragem e a água foi esquentada pelos próprios presos. Situação nada propícia para um bebê de poucos dias de vida.

“Fez frio e estava com medo de ele pegar friagem. Estava com muito dó. Queria protegê-lo dentro de uma cela fedida, com medo de pegar uma bactéria.”, continua Jessica. A preocupação com a saúde do filho é nítida, até porque, recém-nascidos exigem diversos cuidados e um ambiente limpo e higiênico. Depois, os dois foram transferidos para a Penitenciária Feminina de Santana, na zona norte de São Paulo.

Saída da prisão:

Dois dias depois, ela conseguiu o direito de cumprir prisão domiciliar. Na segunda-feira, 19, o menino finalmente foi registrado: “É humilhante e triste ter um bebê na cadeia ou ir para a cadeia com um bebê. Meu filho não precisava passar por isso. Já pedi muito perdão para ele. É como se ele fosse culpado, né?”, desabada Jessica.

O caso levantou o questionamento sobre as gestantes e mulheres com crianças pequenas nas cadeias brasileiras. O objetivo da Defensoria Pública é que essas pessoas possam cumprir a pena em prisão domiciliar. O filho de Jessica, como diversos outros, já passou por muito em tão pouco tempo de vida, numa realidade que precisa mudar.

Agodoi1

Deixe uma resposta