0

É possível morrer de desgosto? O caso dessa mãe de 32 anos emociona – VEJA

Família ainda sente dificuldade para explicar todo o drama que estão vivendo neste final de ano.

Uma mãe desgostosa e seu filho de 10anos morreram separados por apenas algumas semanas. Ashley Tomlin, de 32 anos, morreu nessa segunda-feira, 4 de dezembro, com o “coração partido”, algumas semanas depois de perder seu filho, Jak Fada.

O menino inglês, de South Shields, morreu no hospital no dia 6 de novembro, apenas algumas horas depois de se queixar de dores no peito. Ele e sua mãe teriam, alegadamente, a mesma condição cardíaca, que poderia ter provocado essas mortes trágicas.

Duas mortes em menos de 22 horas

O mês de novembro se iniciou com uma enorme tragédia na Família Tomlin, e o ano não terminaria sem novo drama acontecer.

Foi no dia 6 de novembro que James Tomlin faleceu e menos de 22 horas depois, a família chorava nova morte. Dessa vez, ainda mais inesperada, pois era o bisneto de James, o pequeno Jak, de 10 anos. Em menos de um dia, Ashley perdeu seu avô e seu filho, uma dor que a faria perder a vida, menos de um mês depois.

As suspeitas estão apontando para que eles tenham morrido os três pelo mesmo problema cardíaco, pois todos teriam acusado alguma condição relacionada com a Saúde do coração. Agora, os parentes sobreviventes devem ser testados para verificar se eles estão também em risco. Porém, o pai de Ashley disse que não acredita que seja o mesmo problema e disse que sua milha morreu de “coração partido” ou desgosto, após perder o filho.

Mãe morre de ‘coração partido’
Keith Tomlin disse: “A condição médica foi a mesma que a que aconteceu com Jak.

A principal artéria se rompeu. O médico legista disse que é como um coração partido. Ela ficou devastada desde que Jak morreu.” De acordo com o avô, Jak foi submetido a uma cirurgia quando ele tinha apenas 3 meses de idade, depois de ter sido diagnosticado com uma anomalia em seu coração e continuou fazendo exames no Hospital Freeman, de Newcastle, até completar 5 anos.

Assim que ele conseguiu andar, que o menino sempre foi louco por futebol e sua paixão pelo jogo foi inspirada por seu herói, Alan Shearer. Conhecido como “Capitão” entre os seus companheiros de equipe, Jak jogou como goleiro no time da escola e fazia treinos semanais em South Shields. Aparentemente, o menino era saudável e sua morte deixou toda a família chocada.

Desgosto inegável
Após a morte de Jak, Ashley ficou com a mãe, Jill, em sua casa e estava devastada pelo grande desgosto. Jill ouviu sua filha ir ao banheiro durante as primeiras horas da segunda-feira. Quando ela entrou, encontrou Ashley sofrendo uma convulsão. Jill ainda chamou uma ambulância, mas não havia nada que os paramédicos pudessem fazer para salvar a vida dessa jovem, de 32 anos.

O pai de Ashley lamenta ainda porque estava sentindo sua filha melhorar. “Ela tinha começado a fazer planos para seguir em frente após a trágica perda de Jak e foi o melhor que ela havia passado desde que ele faleceu”, disse Tomlin, sabendo que a filha nunca iria superar essa perda.

Agodoi1

Deixe uma resposta