0

Bebê passa mal e em 24 horas ela morre, a mãe não sabia de 1 vacina, no brasil esta vacina tem somente na rede privada.

Os pais decidiram contar o que aconteceu com sua filha para chamar atenção aos perigos da meningite B, no brasil esta vacina temos somente na rede privada. Em poucas horas a menina contraiu meningite B, e em menos de um dia depois de ter os primeiros sintomas, ela faleceu. No brasil, a vacina contra a doença só esta disponível na rede privada.

Os pais Skylar decidiram compartilhar a história da filha publicamente e criaram uma página de financiamento coletivo para manter o público informado sobre o problema. “Andando sob o sol da manhã, fomos até o mirante. No último dia de um fim de semana, meu marido Ash, 36, meu filho Navaro, quatro, e as gêmeas Skylar e Rhainer, dois anos e meio, estavam explorando Katherine Gorge (parque nacional da Austrália).

Com idades próximas, as crianças adoravam brincar juntas. As meninas gostavam de se fantasiar e estavam obcecadas com as princesas, enquanto Navaro era um irmão mais velhos amoroso. Se alguma vez discutiam, Skylar era a pacificadora.

Quando Ash e eu nos casamos na frente de nossos filhos em maio, nossas vidas se completaram. Apreciando a bela paisagem, tiramos fotos de nosso pequeno trio enquanto exploravam juntos. Então, chegou a hora de ir para casa. No caminho, Skylar começou a ficar inquieta. Quando paramos para o almoço, ela perdeu o apetite. “Não estou com fome”, disse. Geralmente, ela gostava de sair para comer. Todos os fins de semana, Ash e eu levávamos as crianças para um café. Era um momento em família perfeito. “Eu quero um ‘cino!” Skylar diria, o que significa leite com espuma, também conhecido como capuccino de bebê. Ela adorava que vinha com um marshmallow no topo.

“Ela deve estar ficando doente”, pensei. Mesmo assim, Skylar tinha um monte de energia. Rindo, as crianças brincaram com um crocodilo de pelúcia no restaurante. Quando chegamos em casa às 14h30, Skylar estava se sentindo mal, então colocamos Shrek ela para assistir. Ela vomitou e começou a sentir dor de barriga. “Deve ser um problema gástrico”, pensei.

Peguei um termômetro e tirei a temperatura – 39 graus. Então lhe demos um banho fresco e paracetamol. Rapidamente, sua temperatura baixou para 36,2 graus, mas, às seis da tarde, ela estava vomitando novamente e com diarreia. “Pobrezinha”, pensei, segurando o cabelo da testa dela enquanto Skylar vomitava num balde. Uma hora depois, colocamos Rhainer e Navaro na cama e Skylar ficou no sofá-cama com a gente para que pudéssemos observá-la de perto. Por volta das 20h15, troquei sua fralda. Foi quando vi duas marcas estranhas na sua pele. Então notei uma terceira, em seu pescoço.
Pareciam pequenos machucados roxos.

“É meningocócico”, percebi, reconhecendo a erupção cutânea das fotos que já tinha visto. “Ela não tinha uma vacina para isso?”. Sem tempo a perder, pedimos aos nossos vizinhos que ficassem com Rhainer e Navaro e levamos Skylar até o hospital mais próximo. “Nós vamos ver o médico”, disse a ela.

Depois de chegarmos à emergência às 20h30, a equipe rapidamente confirmou nossos medos e nos levou à sala de ressuscitação. ‘Skylar tem meningocócico B’, disse um médico. Nossa pequena princesa estava perigosamente doente. Como isso pode estar acontecendo? Aprendemos que a vacina que Skylar tinha tomado protegia contra uma cepa diferente da bactéria – a meningocócica C.

“Eu não tinha idéia de que havia diferentes tipos”, eu disse a Ash, horrorizada. “Nem eu”, ele respondeu, abalado. Agora, Skylar estava lutando por sua vida contra uma infecção mortal.
“Precisamos colocá-la em um coma induzido”, disse o especialista. Isso lhe daria uma melhor chance de vencer a doença.

Ash e eu ficamos ao seu lado quando lhe deram as drogas. “Não, papai, não quero mais”, disse ela, exausta. Então, ela dormiu. Ash e eu estávamos fora de nós mesmos. O dia começou com um divertido passeio em família. Apenas 12 horas depois, ficamos presos num pesadelo.
“Por favor, aguente firme”, implorei para nossa garotinha que sempre iluminava a todos com o sorriso dela.

Depois disso, tudo aconteceu muito rápido. Os médicos lutaram bravamente para salvar Skylar. Quando ela ficou sem pulso, eles conseguiram fazê-lo voltar. Tragicamente, esse alívio não durou muito tempo. Às 11h30, nosso mundo desmoronou quando a nossa filha linda e de grande coração se foi. Ash e eu ficamos chocados. Era impensável.

Voltando para casa sem ela, demos a notícia devastadora para a gêmea e o irmão de Skylar.
“Skylar é uma estrela no céu agora”, dissemos a eles. “Ela está olhando para nós.” Então eles decidiram sair para conversar com ela. “Nós sentimos sua falta”, dizem, soprando beijos para o céu todas as manhãs e noites.

Dizer adeus ao nosso anjo foi devastador. Se soubéssemos que outras variedades de meningococo existiam, teríamos pago mais uma vacina sem pensar duas meses. Não podemos suportar a idéia de outra família sofrer assim. É por isso que iniciamos nossa campanha – “Compartilhe um ‘cino com Skylar”.

Pedimos que cafés em toda a Austrália distribuíam babycinos gratuitamente até que a vacina contra o meningococo B seja adicionada ao cronograma de imunização da Austrália. Queremos que os pais aprendam sobre meningocócicos enquanto compartilham um cino com seus bebês. Esta doença nos roubou a nossa menina maravilhosa, mas nós faremos com que o legado de Skylar salve vidas”.

Agodoi1

Deixe uma resposta